Sobre

Nós mulheres devemos participar da tomada de decisão!

Patricia nasceu e cresceu na Zona Norte de São Paulo, estudou nas escolas públicas EMEI 9 de Julho na infância e do 1º ao 8º ano na EMEF Noé Azevedo. Aos 14 anos passou na ETEC Mandaqui e viu como as oportunidades não são para todos na educação, quando soube que só tinha ela e outra aluna, entre 40 alunos, tinham vindo de uma escola pública.

Na Universidade, se formou em Relações Internacionais. Sua carreira acadêmica conta com duas iniciações científicas e intercâmbios com foco em pesquisa. Ingressou em 1º lugar no mestrado em Direito, contemplada com bolsa CAPES e em 2020 se tornou mestra em Direito.

Desde cedo na trajetória política:  aos 19 anos realizou pesquisa de campo em Viña del Mar, Chile, para compreender as políticas públicas locais para internacionalização. Há 4 anos filiou-se a REDE Sustentabilidade, que a contemplou com oportunidades para atuar na política na coordenação do Elo Mulheres Estadual de SP ampliando espaços de discussão de políticas públicas para mulheres. Com 21 anos, foi escolhida para compor o Elo Nacional da REDE e aos 22 anos foi candidata a Deputada Federal conquistando 10 mil votos!

É a primeira mulher da América do Sul a compor o Conselho Consultivo de Jovens do Dia Mundial dos Oceanos e sua paixão pelos oceanos, pelo meio ambiente e por toda vida na terra, a fez tomar a decisão ética de se tornar vegana, parando de consumir qualquer insumo de origem animal.

No seu tempo livre, Patricia se dedica a disseminar um estilo de vida simples, em seu site sobre consumo consciente e moda sustentável.

ENTRE EM CONTATO

Por um futuro sustentável e melhor para o Brasil!

 

Nascida na Zona Norte em São Paulo desde cedo é engajada com a sociedade.
Há 4 anos é filiada da REDE Sustentabilidade, movimento de ambientalistas que conseguiu virar um partido político. Na REDE, aos 20 anos fundou e coordenou o Elo Mulheres Estadual de SP da Rede que fomenta a participação de mulheres na política. Aos 21 anos foi delegada nacional III Congresso Nacional da Rede Sustentabilidade em que se tornou membro do Elo Nacional da Rede Sustentabilidade e do Elo Mulheres Nacional.
Em 2018, aceitou o desafio de ser candidata a deputada federal e conquistou 10 mil votos com menos R$2.500 numa campanha 100% limpa com foco digital!

Patricia estudou grande parte da vida em escolas públicas, iniciando na EMEI 9 de Julho e do 1º ao 8º ano estudou no EMEF Noé Azevedo. Aos 14 anos passou na ETEC Mandaqui e viu como as oportunidades não são para todos na educação, quando soube que só tinha ela e outra aluna, entre 40 alunos, que tinham vindo de uma escola pública.
É formada em Relações Internacionais e mestra em Direito, professora, ambientalista e vegana. Também é primeira mulher brasileira e da América do Sul a compor o Conselho Internacional de jovens do Dia Mundial dos Oceanos e cofundadora da EcoCiclo que desenvolveu o 1º absorvente 100% biodegradável do Brasil.

Como pesquisadora, aos 19 anos foi para Viña del Mar no Chile para compreender o funcionamento das políticas públicas municipais de uma cidade costeira turística e internacionalizada. Sua pesquisa demonstrou que, por meio da internacionalização, é possível melhorar a cidade, trazendo recursos internacionais e criando projetos mais efetivos. Um turismo sustentável gera empregos e visibilidade, valorizando a nossa cidade. Para transmitir o seu conhecimento atuou em ONG’s locais e Organizações Internacionais como o Fórum Econômico Mundial.

Patricia é jovem, o futuro que ela viverá, é o futuro da próxima geração, sua preocupação é com o todas e todos.
O cuidar com o meio ambiente é uma necessidade para a sociedade sobreviver e se sustentar por mais tempo. São Paulo se sustenta com sua riqueza, mas sem cuidar do meio ambiente que é a nossa casa que precisa permanecer limpa para que tenhamos saúde, sem garantir os acessos básicos a saneamento e água potável. Nossa segurança, física e social fica em jogo. Pela Educação e pela Ciência conseguiremos mais sustentabilidade para que tenhamos Saúde e Segurança. Patricia é professora, pesquisadora, ativista na área ambiental e vegana. Aquilo que diz que defende é o que ela faz e vive na prática.

– Com seu apoio, posso me tornar a Vereadora mais jovem da cidade de São Paulo.

Programa de Propostas

Conheça o que defendo, as pautas prioritárias e principais propostas. Baixe o Programa Completo:

Desenvolvimento Sustentável

Eu acredito no Desenvolvimento Sustentável que está além dos três pilares: social, ambiental e econômico. Com base no economista Ignacy Sachs, referência pela sua concepção de desenvolvimento, o social é intrínseco ao desenvolvimento sustentável, seguido do ambiental que considera duas dimensões o de sustentação por ser provedor de recursos e o de recipiente por ser o local onde tudo volta, a terceira dimensão é a econômica que viabiliza as condições e acrescenta-se a quarta dimensão que é a territorial que está relacionada a forma de distribuição dos recursos e finaliza-se com a quinta dimensão que é a POLÍTICA considerando a governança democrática como um valor fundamental para ter a liberdade necessária para se desenvolver.

Direito Animal

Como vegana, entendo que o veganismo é um ato político porque é uma crítica ao modo de vida baseado na exploração intensa de recursos naturais, principalmente, a pecuária.

Nesse sentido, o movimento oferece formas alternativas de organizar a sociedade, de compreender as relações sociedade-natureza e de experimentar formas mais sustentáveis de vida. 

A garantia de vida na terra pelos próximos séculos exige no mínimo a redução da produção de carne, ovos e laticínios, devido ao uso do solo, água e as mudanças climáticas, a redução é um fato dado.

Para isso é necessário política públicas que fomentem a redução do consumo de produtos de origem animal, assim como legislações que salvaguardem a nossa saúde, exigindo informações mais claras dos ingredientes que compõe os produtos e de como eles são fabricados.

Segurança

Com a retomada das atividades, a insegurança retornou e a tranquilidade para frequentar os parques e espaços verdes que já era pouca, agora é quase inexistente. A redução da violência está ligada a falta de garantia de direitos estruturais, fatores como falta de saneamento básico, direito à moradia, asfaltamento, iluminação, pouco planejamento urbano, afetam diretamente a segurança de todos, não só física como ambiental. Quero uma São Paulo segura e que possamos caminhar livres admirando espaços verdes. Entendemos que ser livre é muito mais do que viver em uma cidade democrática. Olhamos os problemas de forma ampla; ser livre é não ter medo de andar na rua por causa do seu gênero ou orientação, é poder crescer sócio-economicamente e fazer parte da cidade com saúde, segurança, emprego e desenvolvimento. Para isso nos comprometemos com uma gestão científica. Os problemas muitas vezes já têm respostas, baseadas em dados e estudos criteriosos, o que falta é vontade política dos representantes e ação concreta para colocar as melhores soluções em prática.

Tecnologia e Inovação

A tecnologia pode ser o fator determinante para solucionarmos os problemas do país. Usá-la como vetor para implementação de sistemas inovadores para o desenvolvimento sustentável, garantirá inúmeros benefícios para população, mas para isso ser possível, é preciso uma legislação consistente que priorize a entrada dessa tecnologia para melhorar a vida de todos.

 

• Projetos de Lei de Incentivo a Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Sustentável:

acesso à água potável e saneamento básico a todos;

educação ambiental, principalmente ao pequeno produtor que conhecerá outras formas de desenvolver seu trabalho, buscando reduzir as perdas com o uso de tecnologias viáveis e conscientes;

aumento do consumo consciente, mostrando que é possível substituir plástico, por materiais biodegradáveis.

Juventude

Segundo a OCDE, a pandemia pode criar uma “geração perdida” de jovens que irão ter que se submeter a empregos precários. No Brasil, dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostram que 1,2 milhão de pessoas adicionais entraram na fila do desemprego no primeiro trimestre de 2020 e que entre os jovens de 18 a 24 anos, o desemprego subiu de 23,8% (dado do último trimestre de 2019) para 27,1%, isso mesmo, mais do que o dobro da média nacional de desemprego, de 12,2%. Precisamos atuar na promoção do Primeiro Emprego com o aumento do fomento ao Programa Jovem Aprendiz, na diminuição da evasão do Ensino Médio, na capacitação para os jovens que sonham em empreender e na formação política para que além de serem percursores da retomada econômica, tenham conhecimento para contribuir com o desenvolvimento sustentável da sociedade em suas cinco dimensões.

Educação Política

Investimento em Educação é um dos poucos temas unanimes no Brasil. Todo mundo concorda que o Estudo é essencial para o futuro. Ao investir em Educação, Pesquisa e Desenvolvimento, não só se valoriza o Estudo, mas também outras áreas.

Valores

“Valores são um conjunto de crenças que nos guiam em nossas escolhas e avaliações.”

Transparência

Sustentabilidade

Comprometimento

Ética

Veganismo

Solidariedade

Justiça

Diversidade

Universalismo

``Sempre é a hora certa para fazer o que é certo!``

Campanha 2020

Uma campanha limpa, ética e consciente!
Os impactos da campanha são avaliados e serão correspondidos com ações de compensação de carbono.

Dia 15 de Novembro vote para Vereadora 18.888 

Doe

Sua contribuição é muito importante

para juntos construirmos uma São Paulo sustentável!

Apoie doando diretamente para a conta da campanha:
 

Banco do Brasil
Agência 1541-5
C/C Número: 26.486-5
CNPJ: 39.090.825/0001-80

DOEAPOIE

E-MAIL
contato@patriciazanella.com.br

Enviar Mensagem